slide

18 agosto 2016

Desacelere jovem...




Imagine uma turma de universitários na reta final do curso. Esses estudante provavelmente já passaram por muita coisa, já aprenderam algo, já experimentar, já viveram algumas coisas, e agora sentem a ansiedade de terminar o curso com a pressão das dificuldade que vão aumentando. Agora imagine esses estudantes ouvindo de uma pessoa no início desse semestre que devíamos parar de frescura, parar de deixar que gripes e dores de cabeça nos impedisse de ir para a aula, que não devíamos tirar os domingos para dormir o dia todo, que devíamos dormir o equivalente a sobrevivência, que quando não estivéssemos bem que deveríamos tomar um remédio e ir pra aula mesmo assim.
Ninguém gosta de pessoas que querem tudo mastigado, que não se esforçam, que montam na capacidade dos outros. Ninguém gosta de pessoas relaxadas, preguiçosas, oportunistas e folgadas. O brasileiro já ouviu muito que é um povo trabalhador, já me contaram que os americanos trabalham excessivamente e por isso consomem muito fast food. Mas vamos parar para separar o esforço do sacrifício suicida.

Já cheguei no fim do dia morta de cansada, desmotivada, e pensando o quanto as coisas são difíceis, logo depois me culpei porque lembrei que existem pessoas que trabalham e estudam o triplo, que tem muito menos, e se dedicam muito mais, e isso fez, e as vezes ainda faz, com que eu me diminua e diminua os meus esforços.

Mas a verdade é que parece que nunca fomos tão cobrados quanto agora.

Quantas matérias já saíram de pessoas que passaram em 1° lugar em concursos, Enem, vestibular, etc. e é assustador a realidade dessas pessoas, são muitas horas por dia estudando, as vezes compartilhadas com o trabalho, poucas ou razoáveis horas de sono, e nenhuma de diversão. Romantizamos e exaltamos isso. Como é legal uma pessoas estudar 10 horas por dia. Que pecado você sair para se divertir nos fins de semana!

E você passa uma boa parte do seu tempo estudando, garante um emprego estável, e agora precisa se dedicar arduamente a ele e ir atrás de uma pós, mestrado, doutorado...

E quando você começa a viver? Quando vai tirar aquelas férias que tanto sonhava quando estava estudando? Quando você vai colher os frutos do seu esforço? Quando vai ter um tempo?

E quantas doenças esses maratonistas desenvolvem? Quantas dessas pessoas se alimentam mal, dormem mal, tem ansiedade, depressão, anemia, gastrite, e uma infinidade de coisas?

Valeu a pena?

A sua saúde não vai esperar você passar no vestibular, as noites mal dormidas vão se acumulando, os momentos inesquecíveis não vão acontecer quando você tiver um tempo para eles. As pessoas que você ama não vão poder estar com você só quando você tiver tempo.

Tudo nessa vida requer esforços e sacrifícios, precisamos estudar muito e trabalhar muito. E as vezes isso vai requerer que você durma mais tarde, acorde mais cedo, passe sábado e domingo diante dos livros e recuse aquele filme. As vezes você vai ter que comprar o livro do cursinho ao invés do vestido pra festa. Alguns dias vai ter comer correndo pra não se atrasar, em outros não vai poder ver o namorado. Esse ano tem vestibular e já era a viajem.

Mas não ultrapasse limites, não force as barreiras, não tente mais do que deveria. Afinal somos apenas humanos. Parem de cobrar o sucesso precoce de si mesmos, parem também de pressionar e esperar isso dos outros. Ter controle de sua vida é saber medir e equilibrar as coisas, sem exageros, sem excessos. Você não tem que provar a ninguém seus esforços, suas conquistas serão aproveitadas por você mesmo, sua felicidade depende de você e não do tanto que você trabalhou e estudou.