Pular para o conteúdo principal

A Rainha da Fofoca


ITEM 13- UM LIVRO QUE SE PASSA NO EXTERIOR ONDE VOCÊ DESEJA IR- DESAFIO CRÔNICA SEM EIRA

A Rainha da Fofoca é o primeiro livro da trilogia Queen of babble da autora Meg Cabot,  publicado pela editora Galera Record.
(tentativa frustrada de tirar uma dessas fotos bonitinhas)
Confesso que ao adquirir meu exemplar no sebo eu não tinha muito ânimo em lê-lo, principalmente pelo título. Mas vamos falar sobre:
Lizzie é uma garota que acaba de se formar em História da Moda, não sabe o que vai fazer de sua vida daqui para frente, apesar disso ela está de malas feitas para viajar até Londres, para passar um tempo com seu namorado Andrew, que ela viu uma única vez a três meses atrás. Estar em um país completamente diferente com um cara que ela mal conhece já seria desafiador o suficiente, mas para dificultar Lizzie não consegue guardar segredos. Em pouco tempo Lizzie se vê atravessando o canal da Mancha e indo para a França para tentar encontrar sua melhor amiga, a Shari, que está trabalhando em um Castelo. Ela não sabe se a amiga está a esperando na estação de trem, não faz ideia do que pode acontecer, mas por alguma razão ela se vê contando tudo, ABSOLUTAMENTE TUDO, a um estranho charmoso sentado ao lado dela no trem.
Você dará muitas risadas com a Liz, só para começo de conversa, ela descobre que na verdade ainda não se formou, porque não sabia que teria que escrever uma monografia para o curso, ela só descobre isso na festa de formatura que sua família preparou. E quem é que viaja até Londres, para encontrar o namorado, mas não se lembra de como ele é?

"– O quê? Você não fuma maconha?
– Ah, não - não posso me dar ao luxo de perder mais neurônios. Para começo de conversa, nunca tive muitos."


É meu primeiro romance adulto da autora Meg Cabot e eu tenho que dizer que foi bem divertido. A narrativa é bem fluída, e  foi feita para que você entre na cabeça da protagonista, você sente o tempo todo que ela está apenas contando a história dela para você em uma conversa descontraída e bem detalhada. O que faz com que o livro seja muito leve e rápido.
Lizzie é uma personagem que fala e faz as coisas por impulso e isso move a ação do livro, ela é uma fofa, romântica, mas muito ingênua e insegura, isso me irritou muito no início do livro mas as coisas vão tomando novos rumos e parece até outra história.
Apesar do título, não tem fofocas maldosas, só a Liz falando  e fazendo as coisas sem pensar antes.

 "Eu sei que é ridículo. Mas meus olhos realmente se encheram de lágrimas. Faço o que posso para dispersá-las. Não quero que ele saiba que estou chorando de alegria por causa do fato de ele ter me dado um pacote de seis latinhas de Diet Coke. Porque não estou. É o gesto, não a bebida."

Os outros personagens também ganham pequenos espaços no seu coração.
Os cenários descritos são de tirar o fôlego, escolhi esse para o Desafio porque sempre fui louca com Londres, onde acontece o início da história, e logo vamos para a França, onde eu também morro de vontade de ir, e paisagens de vales, castelos e rios serpenteando montanhas, banhados pelo sol poente, te encantam e são muito bem descritas sem que fique cansativo.
Livros leves, divertidos e bem fluidos como este me cativam muito, e apesar de eu ficar sabendo de uma continuação só quando acabei, eu quero muito ler os próximos que são A Rainha da Fofoca em Nova York e a Rainha da Fofoca Fisgada.
Eu mais que recomendo este gostoso chick-lit. Mas como eu disse antes, é um romance adulto então tem linguagem com palavrões e cenas de sexo.
Boa leitura, e até o nosso próximo papo literário.

Comentários

  1. Oi, Babí.
    O livro realmente não tem uma capa ou títulos atraentes, ahahha.
    Mas a sua resenha ressaltou bem uma característica que gosto bastante em livros: essas tiradas descontraídas que dão um super toque de humor às obras e deixam a leitura muito mais leve e divertida.
    Apesar de não achar a história tão instigante acho que leria se tivesse a oportunidade, parece ser um bom livro para dar risadas :)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma curiosidade sobre o jornalismo: mascote

Olá queridos leitores,
hoje eu vim aqui trazer para vocês uma curiosidade do jornalismo. É algo que eu descobri recentemente, achei interessante, e vim compartilhar.
Você sabe qual é o mascote que representa o seu curso? Ou o símbolo dele? Não? Não acha que seja algo relevante?
Pois saiba que na sua formatura, o(a) organizador(a) do evento terá a obrigação de saber para inserir na cerimônia, além disso o mascote ou o símbolo pode ter uma grande carga moral e ética que resume bem a sua futura profissão ou o perfil adequado, e lhe servirá de guia em sua jornada. Como exemplo eu trouxe os símbolos ou mascotes do jornalismo:
Foca: a foca é destinada a representar os recém formados (novatos) ou que estão prestes a entrar no curso, representa aqueles com pouco ou nenhuma experiência, a foca é considerada um animal curioso e observa tudo ao redor, pois é algo novo para ele, além disso ela demonstra determinação. Há aqueles jornalistas que não gostam muito dessa representatividade.



Raposa: ah…

Como transformar seu dia

Ela acorda pela manhã às 6:00, não dá tempo de colocar aqueles 5 minutos a mais no despertador, é preciso correr e se arrumar, mal da tempo de assimilar as coisas ao seu redor, ou de espantar o sono. Nessa fração de segundo, entre chutar o edredom e pisar na cerâmica gelada, o pensamento de desistir do seu dia assola sua mente, será que se faltasse do serviço só por hoje seria demitida? Por que ela não podia se permitir ser mais irresponsável? Tão rápido quanto veio o pensamento se dissipa, onde já se viu? A dificuldade 2x pior na vida de outras pessoas, os planos para o futuro, aqueles que dependem dela e até o mimo no fim do mês são desculpas suficiente para seguir em frente.
Seu dia começou.
Novamente.
Mais doses daquela rotina construída.
Seu dia tem tudo para ser como todos os outros.
Ela entra no metrô, abre um livro e se perde na rotina de outra pessoa, cavalga suavemente nas palavras que descrevem uma vida que não é sua. O fato de estar em pé e ter que ficar com o braço levan…

Playletras da superação

Olá queridos leitores. Já fazia um tempão que eu não fazia Playletras né? Para compensar eu trouxe uma lista com um propósito nobre. No playletras de hoje eu quero pedir que você baixe essas músicas, pode ser no celular ou no computador, de preferência quando estiver sozinho, escute em volume alto e preste atenção na letra. Deixe sua mente vagar pela mensagem porque as canções de hoje foram feitas e selecionada para ajudar você a superar, seja um término, seja pessoas ruins na sua vida, escolhas ruins ou erros que você não consegue deixar para traz, essas bandas de rock querem te incentivar a seguir em frente, então aperte o play and move on!
1° Pitty- Serpente A baiana Pitty é aquela melhor amiga que te manda a real! Ela vai te dizer o que você precisa escutar não o que você quer. Recentemente ela passou por uma fase bem difícil mas transformou essas experiências em um álbum de superação, a melodia é cheia de instrumentos diferentes que nos embalam em uma leve alegria e ainda remete…