Pular para o conteúdo principal

Amiga, precisamos conversar sobre GAROTAS DE VIDRO!

ITEM 20- UM LIVRO QUE SE PASSA NO INVERNO- DESAFIO CRÔNICA SEM EIRA


ESTÚPIDA/FEIA/ESTÚPIDA/VACA/ESTÚPIDA/GORDA/ESTÚPIDA/CRIANÇONA/ESTÚPIA


PERDEDORA

...

ESTÚPIDA

...

PERDIDA

...

"A verdade nem sempre é o que enxergamos"




Eu acabei de ler Garotas de Vidro, sim faz uns 25 minutos. São 8:44 da manhã e eu cheguei à última página  na poltrona do meu serviço antes que a hora de bater o ponto chegasse. Eu não ligo se não é dia de postar resenha aqui no Let's talk, porque acho que o que eu estou sentindo é muito mais importante. Estou finalizando essa resenha com o estômago estranho, e internamente estou agitada, minhas pernas estão bambas e meus olhos cheios de água. Não acho um exemplo para externar o que estou sentindo, talvez algo como quando você está se apaixonando, ou com muito medo, ou muito ansiosa, talvez excitada- não daquela forma maliciosa- ou quando você está muito orgulhosa de ter finalmente enfrentado seus maiores medos.

Não quero afugentar ninguém com minha resenha, mas vou ser o mais sincera possível.


Lia tem 18 anos e acaba de perder a melhor amiga dela, a Cassie. Ela morreu sozinha em um quarto de motel e antes de morrer ela ligou 33 vezes para a amiga que não retornou por causa de uma briga delas.
As amigas estavam separadas porque Cassie tentava se recuperar de  bulimia e a Lia era um "mal exemplo".
Agora Lia vê o fantasma da amiga e se culpa pela morte dela. A história já seria bem trágica por conta dessa perda precoce se não fosse pela anorexia que Lia tem de alguns anos. Além da anorexia ela se corta, e ainda precisa contornar os cuidados e a vigilância dos pais e de sua madrasta depois de sair de uma internação por conta da doença. Assim o livro não é só trágico ele é devastador.



 Por um lado eu diria que foi-até agora- minha melhor escolha para o desafio literário (e que desafio), por outro lado eu digo que foi um tanto quanto dolorosa essa leitura. Se arrastar pelo mundo, pelos pensamentos, da personagem principal foi desorientador, confuso e horrivelmente familiar. Você entra de corpo e alma no mundo de alguém com  distúrbio alimentar em fase avançada. E toda a rotina daquela pessoa gira em torno das contagens de calorias de um alimento, de enganar os pais para continuar a não se alimentar, e se autodepreciar.

" Mostrei a ela como andava fazendo cortes pequenos na pele para deixar a maldade e a dor escorrerem..A dor dos cortes tinha um sabor diferente. E ajudava a pensar sobre como meu corpo, minha família e minha vida tinham sido roubados de mim, ajudava a não me importar..."



Depois que vi a resenha no canal da Pam Gonçalves eu não entendi bem porque eu precisava ler algo tão pesado, mas eu percebi que eu precisava sair do torpor, eu precisava entender, eu precisava me identificar, eu precisava sofrer. É como alguém que faz automutilação para poder se sentir viva, eu tinha que sentir o peso e saber as razões de alguém fazer algo tão maléfico a si mesmo, porque ao entrar nos pensamentos de Lia e ver no que a vida dela se transformou eu tinha que ver no que EU estava me tornando. Enquanto a protagonista via o fantasma da melhor amiga eu via os fantasmas do meu passado, é como se esses anos eu estivesse com a visão embaçada, e agora eu vejo minhas cicatrizes internas, quase sumidas.
O livro é cruel, é toxicante, é difícil, é arrasador, é como estar em um quarto escuro e aos poucos, enquanto as luzes se acendem você enxerga os monstros à espreita e não faz ideia do que eles possam fazer com você.
E se você está se perguntando o que eu pude extrair de bom dessa leitura eu te digo: empatia e compreensão. Por mim e pela Lia. Eu um dia pensei que as meninas que fazem tudo isso consigo mesmas eram superficiais. E apesar de ter aposentado esses meus pensamentos equivocados eu tive que entrar mais profundamente nesse mundo.

Garotas de vidro foi o livro que me despiu. Tire você também, tire essa maquiagem, tire essa química do cabelo, tire esses enfeites, tire essa roupa bonita. Dê uma boa olhada no espelho. Diga a si mesma que é bonita. Respire bem fundo. Afaste os objetos cortantes. E leia Garotas de Vidro.



Comentários

  1. Babí, adorei a resenha!
    Imagino então que essas resenhas que são as mais difíceis de fazer são também as que ficam melhores. São impactantes!
    Você conseguiu impactar assim como conta que o livro faz. Eu tenho que dizer a verdade: já pensava em ler o livro mas agora estou não só curiosa como também com receio... Estou lendo alguns livros ao mesmo tempo e dois deles são um pouco pesados e de vez em quando me sinto exausta por imaginar e sentir um pouco de tudo aquilo que as personagens vivem, imagina uma leitura com essa temática?

    Espero, um dia, criar coragem para ler Garotas de Vidro.

    Um beijo!
    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Oi Dri, é perfeitamente compreensível sentir receio em lê-lo mas é inadmissível não lê-lo sabe? Eu achei a leituras mais essencial da minha vida. Não só pelos meus próprios problemas mas por todas as garotas do mundo, para entender a podridão que nos cerca sabe?
    Claro que a reação de cada pessoa vai ser diferente, ele pode ter sido impactante p mim mas não muito p vc. Isso é normal, mas ninguém que eu li ou vi na internet não se chocou...
    Eu espero que vc leia, de coração, pq saberia se o que eu senti é só comigo.
    Se vc ler, por favor, corra e venha conversar comigo.
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma curiosidade sobre o jornalismo: mascote

Olá queridos leitores,
hoje eu vim aqui trazer para vocês uma curiosidade do jornalismo. É algo que eu descobri recentemente, achei interessante, e vim compartilhar.
Você sabe qual é o mascote que representa o seu curso? Ou o símbolo dele? Não? Não acha que seja algo relevante?
Pois saiba que na sua formatura, o(a) organizador(a) do evento terá a obrigação de saber para inserir na cerimônia, além disso o mascote ou o símbolo pode ter uma grande carga moral e ética que resume bem a sua futura profissão ou o perfil adequado, e lhe servirá de guia em sua jornada. Como exemplo eu trouxe os símbolos ou mascotes do jornalismo:
Foca: a foca é destinada a representar os recém formados (novatos) ou que estão prestes a entrar no curso, representa aqueles com pouco ou nenhuma experiência, a foca é considerada um animal curioso e observa tudo ao redor, pois é algo novo para ele, além disso ela demonstra determinação. Há aqueles jornalistas que não gostam muito dessa representatividade.



Raposa: ah…

Como transformar seu dia

Ela acorda pela manhã às 6:00, não dá tempo de colocar aqueles 5 minutos a mais no despertador, é preciso correr e se arrumar, mal da tempo de assimilar as coisas ao seu redor, ou de espantar o sono. Nessa fração de segundo, entre chutar o edredom e pisar na cerâmica gelada, o pensamento de desistir do seu dia assola sua mente, será que se faltasse do serviço só por hoje seria demitida? Por que ela não podia se permitir ser mais irresponsável? Tão rápido quanto veio o pensamento se dissipa, onde já se viu? A dificuldade 2x pior na vida de outras pessoas, os planos para o futuro, aqueles que dependem dela e até o mimo no fim do mês são desculpas suficiente para seguir em frente.
Seu dia começou.
Novamente.
Mais doses daquela rotina construída.
Seu dia tem tudo para ser como todos os outros.
Ela entra no metrô, abre um livro e se perde na rotina de outra pessoa, cavalga suavemente nas palavras que descrevem uma vida que não é sua. O fato de estar em pé e ter que ficar com o braço levan…

Playletras da superação

Olá queridos leitores. Já fazia um tempão que eu não fazia Playletras né? Para compensar eu trouxe uma lista com um propósito nobre. No playletras de hoje eu quero pedir que você baixe essas músicas, pode ser no celular ou no computador, de preferência quando estiver sozinho, escute em volume alto e preste atenção na letra. Deixe sua mente vagar pela mensagem porque as canções de hoje foram feitas e selecionada para ajudar você a superar, seja um término, seja pessoas ruins na sua vida, escolhas ruins ou erros que você não consegue deixar para traz, essas bandas de rock querem te incentivar a seguir em frente, então aperte o play and move on!
1° Pitty- Serpente A baiana Pitty é aquela melhor amiga que te manda a real! Ela vai te dizer o que você precisa escutar não o que você quer. Recentemente ela passou por uma fase bem difícil mas transformou essas experiências em um álbum de superação, a melodia é cheia de instrumentos diferentes que nos embalam em uma leve alegria e ainda remete…