slide

25 outubro 2015

Viver um amor offline

Eu ando me deliciando frequentemente com textos legais que eu tenho lido em alguns blogs, quem sabe depois não compartilho com vocês? Dentre esses textos li um sobre status de relacionamento.
Falava de uma forma bem humorada sobre uma menina que acabou de começar o namoro, o rapaz ainda não havia "assumido" o compromisso no face e ela entrava em desespero a cada minuto que passava. Como sempre eu mergulhei em reflexões.

Eu e o Edu namoramos a alguns (vários) anos, maravilhosos anos, e a internet foi de fato muito importante no processo de nos conhecermos, apesar de termos nos encontrado na escola. Passávamos horas conversando pelo MSN, e nosso papo era incrível, sempre tínhamos assunto. Quando migramos do Orkut para o Facebook (ainda não namorávamos) eu tinha o status de solteira e ele estava em um "relacionamento complicado", eu morri de rir, porque eu tinha certeza que o "complicado" era uma característica minha e da minha dificuldade em cooperar para que aquela amizade "evoluísse".
Pode olhar lá no perfil dele, ainda está escrito a mesma coisa, mesmo depois de comemorarmos um relacionamento sério a tanto tempo, mesmo depois de ele aceitar de bom grado seus amigos dizerem que sou a "patroa" dele, ou nossos amigos perguntarem se já casamos, já até nos convidaram para um casamento duplo. Ele nunca teve nenhuma dificuldade em assumir nossa relação, ou me assumir, como disseram nos comentários do texto.
Sim, as meninas veem o status de relacionamento sério nas redes como uma forma de assumi-las, como uma prova de amor, como gentileza, como respeito, como forma de afugentar a concorrência. E por mais que eu tenha uma filosofia de que independente de quanto tempo durar o importante mesmo é amar, nós sabemos que muitas dessas relações enfeitadas por emoticons não duram, as vezes nem 3 meses.
É incrível a necessidade de ficar postando uma foto dos dois a cada 1 hora, de fazer facebook de casal, de ter a senha um do outro, de escrever declarações, de brigar porque fulano de tal curtiu a foto. Essas atitudes podem se tornar obsessivas, tirarem a privacidade um do outro, a liberdade, e de bônus construir um relacionamento modelo para postar, mas na realidade as coisas podem estar por um fio.



Em momento algum eu senti que o amor era menor ou menos significativo. No começo até queria colocar "em um relacionamento sério" mas não era uma necessidade, nem chegava a ser capricho, até que fomos vivendo nosso relacionamento, conhecendo a família e os amigos um do outro, e em todas as reuniões ele me apresentava carinhosamente como sua namorada, então nunca senti que nosso namoro não fosse reconhecido. Vivemos momentos lindos e inesquecíveis, e quer saber? Mais da metade ficamos offline, alguns até tirávamos fotos para postar, mas as vezes os sorrisos, as risadas e os olhares tomavam tanto nosso tempo e nossos corações que ninguém nem lembrava de internet. Talvez seja porque se eu pedisse, ele gritaria do topo do mundo que me amava, mas eu prefiro ouvir como um sussurro no meu ouvido, ou olhando fundo nos meus olhos. Aprendi também que os longos textos com fotos que eu escrevia para ele no face não eram tão significativos como quando eu seguro na mão dele e digo que ele é tudo.
É preciso viver uma vida mais leve, as vezes estamos no celular postando selfie e dizendo que estamos com fulano e felizes mas ele ta ali do seu lado querendo um longo beijo e um abraço, e você ai brincando de ser feliz para os outros e deixando de viver a real felicidade. Quem sabe mais pessoas descobrem que um abraço vale mais que uma curtida.

18 outubro 2015

Conversando sobre Jogos Vorazes

Olá queridos leitores
hoje eu não pretendo escrever exatamente uma resenha, até porque quase todo mundo já leu, ou já assistiu ou já ouviu falar de Jogos Vorazes, então eu venho apenas levantar alguns dos pontos mais importantes desse livro. Ele é o item 18- uma distopia- do Desafio Literário Crônica Sem Eira.
TAPA NA CARA, é isso o que essa leitura vai fazer com você, seja para te deixar chocado ou para te acordar, talvez os dois, na verdade um complementa o outro. Você se vê revoltada com a realidade que os moradores dos distritos tem de passar. A fome que assola a sociedade, que mata lenta e dolorosamente, ou mesmo a injustiça e a violência que matam rapidamente, não importa, um ou o outro aprisionam e escravizam, amarram os distritos à Capital. E você se vê sentindo uma raiva cada vez maior, os habitantes estão imersos no entretenimento e em suas aparência, e assim o governo faz tudo parecer normal, natural, um favor, como se eles protegessem e estimassem o bem de toda a Panem (nação localizado na América do Norte, em um mundo pós-apocalíptico).


Descobri em um vídeo do canal Chiclete Violeta, e depois em uma breve pesquisa, que Panem vem de  uma expressão latina que quer dizer pão e circo, uma prática romana que consistia em dar comida e diversão para diminuir a insatisfação da população.
É exatamente assim que acontece, apesar de toda a podridão e a situação deplorável o governo consegue distrair as pessoas, uma das formas de entretenimento são os Jogos Vorazes, o que é um absurdo já que os Jogos é um verdadeiro banho de sangue primitivo e desenfreado entre crianças e adolescentes que são patrocinados para matarem uns aos outros. E todos devem assistir.



Neste primeiro livro nós podemos identificar além dos outros fatores um leve romance, mas não se enganem, aqui tudo é mais real, é palpável, inicialmente tudo gira em torno da sobrevivência da protagonista Katniss e de todos que ela ama, então não temos espaço para um romance ao qual você está acostumado.
Por falar em Katniss eu devo dizer que ela é a personagem mais real que eu já li na minha vida, ela vai te surpreender e te dizer a verdade sem rodeios e floreios, ela é corajosa, inteligente e esperta, mas é a humanidade dela que mais me cativou, a esperteza e as habilidades dela nascem a partir das limitações e dos erros e isso é ainda mais admirável.
A escrita de Suzanne Collins é muito gostosa, é como estar dentro da cabeça de Katniss ou simplesmente conversando com ela, assim a leitura se desenvolve facilmente, você consegue ler o livro em um único dia.
Para quem não leu ainda eu recomendo uma boa preparação emocional para amortecer o impacto da queda brusca que esse livro vai te proporcionar, e o que é mais importante ainda é uma boa reflexão, afinal The Hunger Games não fala de uma sociedade muito diferente da nossa...
Esses foram os pontos mais "cativantes" e fizeram com que essa trilogia se tornasse uma das mais importantes, depois dessa densa leitura eu provavelmente irei me dedicar muito mais a distopias.
Se você já leu The Hunger Games me conta aqui nos comentários o que mais te chamou a atenção e o que você acha sobre todas as discussões levantadas nos livros.
Espero que tenham gostado, um beijo e até nosso próximo papo literário.


09 outubro 2015

Shadowhunters Teaser 1 | Coming 2016 to ABC Family



Eu falo muito sobre Os Instrumentos Mortais e os demais livros da Cassandra Clare, o filme Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos foi uma decepção, mas a série que terá mais espaço para mostrar os riquíssimos detalhes desse mundo me anima muito, estou extremamente ansiosa e não poderia deixar de compartilhar com vocês o primeiro Teaser da série que se chamará Shadowhunters e irá ao ar em 2016 na ABC FAMILY.
ENCOSTE EM UMA CADEIRA E PIREM COMIGO \O/

05 outubro 2015

As Peças Infernais: Príncipe Mecânico

Olá querido leitores
esta provavelmente será a primeira resenha do Projeto Literário Crônica Sem Eira, e este livro atende a várias das pretensões, mas vou me utilizar só de uma, um livro que seja spin off.
Príncipe Mecânico é a continuação de Anjo Mecânico que eu já resenhei , segundo livro da trilogia As Peças Infernais. É da autora Cassandra Clare, editora Galera Records.



Nesta continuação os Nephilim do Instituto de Londres vivem um problema que só cresce e se torna cada vez mais incomodo. Eles precisam mais do que nunca capturar o Magistrado, que por sede de vingança quer destruir a raça dos Caçadores de Sombras e tomar Tessa como sua esposa. Mas o vilão se mostra muito influente e inteligente, sempre a um passo a frente dos Caçadores.
Na jornada para descobrir mais informações sobre o Magistrado os Nephilim se veem cercado de traidores, Caçadores de Sombras e integrantes do Submundo são corrompidos, fica difícil confiar em qualquer um e eles precisam ser inteligentes e estratégicos para não caírem nas diversas armadilhas.
Tessa Gray que agora é parte da família, descobre mais segredos sobre sua origem, claro que não desvendamos  muito e isso me deixa ansiosa, ela ainda é um mistério, além disso ela se vê dentro de uma drama amoroso que acaba partindo seu coração em muitos pedaço.
Lembram que eu tinha mencionado um possível triângulo amoroso e que isso me assustava, eu detesto triângulos amorosos, mas esse romance entre Tessa, Jem e Will me deixou muito dividida e angustiada, eu senti a dor da escolha e o fardo que a protagonista carregava. É como se eu mesma sentisse o amor pelos dois protagonistas. Jem é tão gentil, doce, educado, amável, cavalheiro, carinhoso, toca violino como ninguém (foi o que me contaram) e ama muito ela. Will tem intensidade, tem chamas, tem força, tem paixão, é afiado, sarcástico, amante de livros, está disposto a proteger todos que ele ama custe o que custar e também ama muito Tessa. Difícil né?
Apesar de minha empatia pelas dificuldades que Tessa enfrentou, eu senti muita irritação por ela em alguns momentos, achei que ela deveria ter sido mais treinada e se mostrar uma personagem mais forte e capaz.
O passado de Will também é revelado, acabei sentindo muita pena dele, e ele consegue se livrar de um fardo que o tornava aquela pessoa amarga e distante, e passa a ser o Will gentil, doce e afiado.
Os outros personagens se desenvolvem e desenvolvem seus problemas, deixando para o próximo livro o desenrolar da trama voltado para o Magistrado.
Conclui-se com isso que o Príncipe Mecânico foi muito mais sobre os personagens  do que sobre o futuro da história. Composto por romance, ação e lágrimas.
É isso pessoal, espero que tenham gostado da primeira resenha dentro do desafio, fiquem atentos que a qualquer momento pode sair o próximo. Um beijo e até o nosso próximo papo literário.