slide

06 setembro 2015

Fazendo Jornal

Eu já estava com saudades de falar de jornalismo aqui no blog que por sinal é um dos temas que mais me agrada falar sobre.
Uma das coisas que você, que está tentando decidir para qual curso entrar ou que está prestes a se matricular no curso de jornalismo tem que saber é que os trabalhos práticos que fazemos ao longo dos semestre é uma das coisas mais importantes do curso.
Neles você ganha uma experiência enorme, colocando em prático toda a teoria que o professor passou, pode até parecer óbvio dizer o quanto os trabalhos são valiosos, mas eu ressalto isso por saber que a quantidade de alunos que se apoiam nos colegas na hora de fazer as tarefas, é algo preocupante.
Na  faculdade que eu estudo existe um sistema de aulas práticas chamado ATPS (Atividade Prática Supervisionada), nela os professores passam um "desafio" que deve ser realizado em etapas para se chegar ao objetivo final. E é até difícil dizer para vocês o quanto essas ATPSs me ensinaram. Afinal temos que colocar mesmo a mão na massa e correr atrás de tudo que a atividade propõe, desde sair pela cidade fotografando até produzi jornais e revistas.
Eu não imaginava que logo de cara no 1° semestre eu teria que ajudar a produzir uma revista, muito menos que no terceiro o produto seria um jornal. E quando eu digo produzir eu quero dizer que o nome,  as cores, o símbolo, as pautas, a apuração, as entrevistas, as fotografias, os anúncios, a diagramação, o desembolso para a gráfica, etc, tudo fomos nós que corremos atrás. Deu um trabalhão, mas o resultado foi gratificante.




Foram vários desafios, desde o processo criativo, a adaptação com o aplicativo de diagramação, lidar com pessoas de diferentes humores para entrevista, até achar uma gráfica rápida com um precinho bacana. E apesar de tudo, não pensamos em desistir, o jornal foi entregue na data e com muito orgulho.
Hoje eu não digo que conseguiria diagramar um jornal sozinha, mas em compensação eu sei que posso forçar minhas barreiras muito mais, posso dizer que tenho boas histórias, e menos vergonha na cara para pedir uma entrevista a um delegado de polícia que tem a cara fechada.

A produção foi realizada por uma equipe de 4 pessoas, para chegar ao produto final foi utilizado o aplicativo IDesign para diagramação, todas as notícias e anúncios possuem a credibilidade garantida pelo grupo.

3 comentários:

  1. Oi Babí, adorei o texto.
    Sabia que já pensei em fazer jornalismo? Durante muito tempo esse era meu objetivo mas depois percebi que Letras tinha muito mais haver comigo.

    Mas sempre gostei muito do curso, é muito bom ler um pouco sobre as atividades que envolvem essa profissão.
    Acho que em todos os cursos tem um pouco disso, né? Aprender mais com a prática do que com horas e horas de teoria... Minhas horas em sala de aula que o digam!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Oi Dri
    isso se aplica a tudo, aprender na prática, tanto em atividade como em estágios, as vezes você aprende até o que o professor não explicou, sem contar que é na hora dos trabalhos e deveres que surgem as dúvidas.
    Jornalismo é mesmo sua cara, recomendado para quem gosta de ler e escrever, mas letras é lindo, é divino e muito gostoso, sempre tive mais inclinação para a literatura hehe. Ainda penso em fazer letras, sempre me imagino na sala de aula compartilhando os conhecimento que mais me agradam.
    que bom que gostou do texto
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Verdade!
    Pois é, mas hoje em dia não sei se teria como você mesmo diz "menos vergonha na cara", ahahaha.
    Imagina eu "Bom dia, Senhor..." e o senhor me deixa no ar?! Ia ficar com a cara no chão :O
    Sem contar que hoje seguiria a carreira se fosse pra ser colunista e tal, mas dependendo muito mesmo.
    Quem sabe um dia, né?
    Vai que a gente "troca os cursos" depois de formadas?! ahahaha

    Beijos!

    ResponderExcluir