Pular para o conteúdo principal

A Desconstrução de Mara Dyer

Se você acompanha os booktubers como eu você com certeza já ouviu falar da trilogia Mara Dyer, que está dominando e fazendo a cabeça de vários leitores. Ao ouvir as críticas e resenhas não exitei em acrescentá-lo a minha lista, até que ganhei de aniversário o primeiro livro, A Desconstrução de Mara Dyer da autora Michelle Hodkin, publicado pela editora Galera.



Mara Dyer para agradar sua melhor amiga Rachel, que tem um gosto peculiar pelo sobrenatural decide participar do jogo de tabuleiro Ouija. Depois daquela noite, Mara sofre um acidente após um sanatório abandonado desabar, matando seu namorado, a irmã do rapaz e sua melhor amiga. Ela e sua família mudam de cidade para recomeçarem, e isso parece ser mais difícil do que parece, já que ela está tendo alucinações ou será que está sendo assombrada? O que Mara e os outros jovens faziam naquele sanatório?
Eu não diria que eu adorei o primeiro livro dessa trilogia mas com certeza estou ansiosa pela sequência, ainda há muito o que descobrir, várias perguntas surgiram na minha cabeça.
Apesar da proposta da história com essa pitada de terror, eu que sou extremamente medrosa, não senti medo enquanto a personagem via seus fantasmas. A premissa é muito nova para mim e muito interessante também e isso pode render à continuação o título de melhor livro do ano.

No entanto os personagens principais deixaram muito a desejar, Mara Dyer é instável, o que se espera de alguém que passou por um trauma, mas eu simplesmente não entendia certas escolhas/atitudes burras que ela tinha, estava de saco cheio do ceticismo dela, e ai vem a parte que deixava mais confusa, as vezes ela agia de forma imatura e as vezes, em algumas situações tinha uma epifania de coragem e determinação que beirava muito a teimosia.
Noah o suposto par romântico de Mara é um garoto inteligente, sarcástico, provocante e misterioso. Já não vimos isso antes? Tipo em quase todos os livros? Ele é o tipo de bad boy que atrai todas as garotas. No finalzinho do meio ele se torna intrigante.
Esses dois personagens renderam um romance morno e clichê, e olha que eu adoro os romances, mesmo os água com açúcar. Era do tipo que quando rolava a química entre eles você não sentia isso.
Algumas coisas são até previsíveis mas o final eu não esperava de jeito nenhum, estava até achando que mais nada iria acontecer, faltavam mais ou menos umas vinte páginas para acabar e ai começam a acontecer coisas e...BAM. Acontecem coisas, aparecem pessoas e você fica se descabelando porque não tem a sequência ainda e não sabe o que diabos a autora fez.
Para mim A Desconstrução de Mara Dyer formula mais perguntas do que respostas e talvez isso tenha sido uma estratégia e deu certo comigo. Aguardo a continuação, com expectativas para uma melhora nos personagens, para esclarecer as milhares de dúvidas, para um romance mais envolvente e para o desenrolar de um grandioso mistério.



É isso, se você já leu algum livro da trilogia Mara me conta nos comentários o que você achou, vou adorar saber, e se você ainda quer ler me conta o que achou da resenha, se eu te desmotivei ou não hehe. Um abraço e até o nosso próximo papo literário.

Comentários

  1. Depois de ler seu post fiquei curiosa para ler o livro. Vou comprar sim. bjus
    ❀ ✿ ✾ ✽meusdoisminutos.com✈ ✈ ❥

    ResponderExcluir
  2. Fiquei curiosa pra ler o livro , me parece ser muito bom e interessante

    :http://eesmaltecia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Babi confesso que fiquei muito, muito curiosa msm e já quero saber o desenrolar dessa história.

    ResponderExcluir
  4. Andie que bom que ficou curiosa, corre e da uma lidinha, quem sabe vc não gosta hein?
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Babi, eu esta curiosa, mas agora fiquei em dúvida!
    COXO, Vic (corujasdepassarela.wordpress.com)

    ResponderExcluir
  6. Babí, não sei exatamente o motivo mas a história de algum modo me lembrou a saga Fallen, já leu?
    A história de um acidente que marca a protagonista e a mesma carrega isso e tal... fiquei curiosa, assim como estou louca pra ler os outros livros da saga Fallen que ainda não li, muito mais influenciada pela sua curiosidade do que pelo que contou do livro coloquei na minha listinha de leitura...
    Como sempre uma resenha instigante. <3

    Quando eu ler volto aqui pra te agradecer, ou não... ahahahahah

    Beijão!!

    ResponderExcluir
  7. Dri eu li Fallen, aquela capa linda de tirar o fôlego! E realmente o acidente que as protagonistas presenciam é uma semelhança, mas vc vai perceber que a Mara Dyer não é tão vítima quanto parece heheh.
    Também não faço ideia se vc vai gostar, eu mesma estou em dúvidas se gostei kkkk
    Então espero vc me dizer.
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Uma curiosidade sobre o jornalismo: mascote

Olá queridos leitores,
hoje eu vim aqui trazer para vocês uma curiosidade do jornalismo. É algo que eu descobri recentemente, achei interessante, e vim compartilhar.
Você sabe qual é o mascote que representa o seu curso? Ou o símbolo dele? Não? Não acha que seja algo relevante?
Pois saiba que na sua formatura, o(a) organizador(a) do evento terá a obrigação de saber para inserir na cerimônia, além disso o mascote ou o símbolo pode ter uma grande carga moral e ética que resume bem a sua futura profissão ou o perfil adequado, e lhe servirá de guia em sua jornada. Como exemplo eu trouxe os símbolos ou mascotes do jornalismo:
Foca: a foca é destinada a representar os recém formados (novatos) ou que estão prestes a entrar no curso, representa aqueles com pouco ou nenhuma experiência, a foca é considerada um animal curioso e observa tudo ao redor, pois é algo novo para ele, além disso ela demonstra determinação. Há aqueles jornalistas que não gostam muito dessa representatividade.



Raposa: ah…

Como transformar seu dia

Ela acorda pela manhã às 6:00, não dá tempo de colocar aqueles 5 minutos a mais no despertador, é preciso correr e se arrumar, mal da tempo de assimilar as coisas ao seu redor, ou de espantar o sono. Nessa fração de segundo, entre chutar o edredom e pisar na cerâmica gelada, o pensamento de desistir do seu dia assola sua mente, será que se faltasse do serviço só por hoje seria demitida? Por que ela não podia se permitir ser mais irresponsável? Tão rápido quanto veio o pensamento se dissipa, onde já se viu? A dificuldade 2x pior na vida de outras pessoas, os planos para o futuro, aqueles que dependem dela e até o mimo no fim do mês são desculpas suficiente para seguir em frente.
Seu dia começou.
Novamente.
Mais doses daquela rotina construída.
Seu dia tem tudo para ser como todos os outros.
Ela entra no metrô, abre um livro e se perde na rotina de outra pessoa, cavalga suavemente nas palavras que descrevem uma vida que não é sua. O fato de estar em pé e ter que ficar com o braço levan…

Playletras da superação

Olá queridos leitores. Já fazia um tempão que eu não fazia Playletras né? Para compensar eu trouxe uma lista com um propósito nobre. No playletras de hoje eu quero pedir que você baixe essas músicas, pode ser no celular ou no computador, de preferência quando estiver sozinho, escute em volume alto e preste atenção na letra. Deixe sua mente vagar pela mensagem porque as canções de hoje foram feitas e selecionada para ajudar você a superar, seja um término, seja pessoas ruins na sua vida, escolhas ruins ou erros que você não consegue deixar para traz, essas bandas de rock querem te incentivar a seguir em frente, então aperte o play and move on!
1° Pitty- Serpente A baiana Pitty é aquela melhor amiga que te manda a real! Ela vai te dizer o que você precisa escutar não o que você quer. Recentemente ela passou por uma fase bem difícil mas transformou essas experiências em um álbum de superação, a melodia é cheia de instrumentos diferentes que nos embalam em uma leve alegria e ainda remete…