slide

30 agosto 2015

Os Instrumentos Mortais

Olá queridos leitores!
 Hoje eu vim aqui falar um pouco sobre uma série que eu estou amando, inclusive tenho lido tudo relacionado a ela, qualquer spin off que sai eu já quero comprar.
A série dessa semana é Os Instrumentos Mortais, da Cassandra Clare publicado pela editora Galera Record. Eu já deveria ter feito um post sobre ela mas fiquei adiando porque são 6 livros e eu os li em intervalos espaçados, além do mais é uma história muito rica de detalhes e as vezes fica difícil explicar. Mas a minha missão aqui hoje é me empenhar ao máximo para trazer o universo que a Cassandra criou, com todo o carinho que eu sinto por esses livros.

(foto original)

Essa história é o perfeito exemplo de como as reviravoltas acontecem em nossas vidas, ou na vida de Clary para ser mais exata. Clary Fray é uma adolescente de Nova York que decide sair a noite para dançar com seu melhor amigo Simon na boate Pandemônio. Enquanto dança e observa as belas e exóticas pessoas a sua volta, Clary testemunha um assassinato cometido por três adolescente tatuados e para piorar a situação o corpo da "vítima" simplesmente desaparece. Os três jovens insolentes à apresentam um mundo fora de cogitação até então. Um mundo em que eles são Caçadores de Sombras com o dever de salvar a humanidade dos demônios e manter o equilíbrio entre os mundanos (humanos) e as criaturas do submundo (fadas, vampiros, lobisomens, feiticeiros, etc). Qualquer um ficaria cético com essa história, até que a mãe de Clary é sequestrada e para encontrá-la ela se vê cada vez mais envolvida no universo das sombras.
Mas afinal, o que são Cassadores de Sombras?
A muito tempo atrás o anjo Raziel para livrar o mundo dos demônios misturou no Cálice mortal o sangue de anjos e humanos, dando para que os homens e mulheres mais forte bebessem. Assim nasceram os guerreiros nephilim, os Cassadores de Sombras.

"Livremente servimos
Porque livremente amamos, conforme nosso arbítrio
De amar ou não; assim nos erguemos ou caímos"

(Imagem tirada da internet)

Vocês não tem ideia do tanto de reviravolta nesses 6 livros, algumas coisas podem até ser previsíveis, mas é tudo contado com tanto cuidado que quando você vê as coisas já se desenrolaram. Eu entendo que a quantidade de elementos sobrenaturais, para quem está de fora, pode parecer exagerando. Mas acontece que a autora é simplesmente genial e os personagens, como eu já disse antes, são um dos pontos mais fortes dessa autora. Conforme você vai lendo e conhecendo as "pessoas", suas histórias e suas personalidades, mais você vai emergindo no universo dos Instrumentos Mortais e fica fascinado.
A riqueza de detalhes é imensa e tudo tem um ar mitológico que te deixa mais e mais curiosa, a forma como a autora entrelaça os acontecimentos é brilhante, a maioria das pessoas que leem elogiam a narrativa dela.
Mas é claro que defeitos não poderiam deixar de ser apontados, primeiro eu detesto triângulos amorosos, Crepúsculo me deixou traumatizada, e em uma série grande seria meio que inevitável não ter um romance triplo, mas quando você chega nos 3 últimos livros você até esquece que aquilo aconteceu. Outro aspecto negativo que quase todos apontam é a Clary nos fascinando com sua chatice e burrice em algumas partes. Realmente é um argumento plausível principalmente em Cidade das Almas Perdidas *oh meu Deus porque ficar falando o tempo todo nos cabelos loiros do Jace e porque tomar tantas decisões precipitadas e egoístas??*  ela está tão obcecada pelo Jace que faz as coisas sem pensar nas consequências ou até mesmo na vontade dos envolvidos.
Em algum dos livros, desculpe não lembro qual, a narrativa se torna rotatória, com todos os pontos de vista e isso é muito importante para conhecermos os personagens e vermos o quanto todos amadurecem, se tornam mais corajosos, mais humanos, mais fortes para aguentar toda a tragédia que passaram e estão passando, e dessa forma eu criei um carinho imenso por todos eles.
Em Os Instrumentos Mortais você encontrará amizades inabaláveis, amores devastadores, amores puros, coragem, honra, destino,fé, esperança, traição, perdas e laços tão fortes que são capazes de enfrentar tudo aquilo que você julga ser impossível, muita luta, muita ação, muito menino bonito, etc.
Eu chorei, eu senti medo, eu ri, eu gargalhei e ainda entrei no clima romântico.



A série está dividida em:
Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos
Os Instrumentos Mortais: Cidade das Cinzas
Os Instrumentos Mortais: Cidade de Vidro
Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Anjos Caídos
Os Instrumentos Mortais: Cidade das Almas Perdidas
Os Instrumentos Mortais: Cidade do Fogo Celestial




Além dos Spin offs:
As Peças Infernais: Anjo Mecânico
As Peças Infernais: Príncipe Mecânico
As Peças Infernais: Princesa Mecânica
As Crônicas de Bane (uma das capas mais lindas)
O Códex dos Cassadores de Sombras e mais dois livros que eu não posso confirmar



Também rendeu um filme: Os Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos ( que dá uma discussão para outro post) e uma série que estréia em 2016 com nome de Shadowhunters.
Sem contar que a autora já está falando em HQs...UFA.

Será que te convenci a se render aos encantos desses livros?
É isso, espero que tenham gostado desta resenha, qualquer coisa pode comentar aqui, um beijo e até o nosso próximo papo literário.

23 agosto 2015

Playletras: 5 melhores covers de Boyce Avenue

Já estava na hora de falar de música de novo né? E o tema do Playletras dessa semana vem de um cantor que eu aprecio muito, tanto suas composições quanto seus cover, e olha, ele capricha muito viu.
O Playletras é dos 5 melhores cover de Boyce Avenue, essa concepção de 5 melhores vieram da minha opinião, é claro que você pode concordar ou discordar, e se você gostar sugiro que procure as composições dele, que também são incríveis.

1°- Thinking out Lound- Ed Sheeran

Eu não curto o Edinho gente, tem talento, as músicas são bonitinhas, mas não curto. Apesar de ter ficado apaixonada pelo cover que o Boyce fez:
Querida, eu te amarei
Até que tenhamos 70 anos
Amor, meu coração ainda se apaixonará tão fácil
Quanto quando tínhamos 23
Então, querida, agora
Me abrace com seus braços de amor
Beije-me sob a luz de mil estrelas
Coloque sua cabeça em meu coração que bate
Estou pensando alto
Talvez tenhamos achado o amor bem aqui, onde estamos

2° Mirrors- Justin Timbarlake 

Mas não é que você é algo para admirar?
Porque o seu brilho é algo como um espelho
E eu não posso evitar apenas notar
Você reflete neste meu coração
Se você um dia se sentir sozinha e
A luz intensa tornar difícil encontrar
Saiba apenas que eu estou sempre
Do outro lado, paralelamente
Porque eu não quero perder você agora
Estou olhando bem para a minha outra metade
O vazio que se instalou em meu coração
É um espaço que agora você guarda
Mostre-me como lutar pelo momento de agora


3° Wherever you will go- The Calling

Ultimamente, tenho pensado
Quem ocupará meu lugar
Quando eu me for, você vai precisar de amor
Para iluminar as sombras do teu rosto
Se uma grande onda cair
E cair sobre todos nós
Então entre a areia e a pedra
Você conseguiria se virar sozinha?
Se eu pudesse, então eu iria
Eu vou aonde quer que você vá
Bem lá em cima ou lá embaixo
Eu vou aonde quer que você vá



4° When I Was You Man- Bruno Mars

A mesma cama, mas parece um pouco maior agora
Nossa canção no rádio, mas ela não soa como antes
Quando nossos amigos falam sobre você
Tudo o que isso faz é me arruinar
Porque meu coração se parte um pouco
Quando ouço o seu nome
E tudo soa como uh, uh, uh, uh, uh
Jovem demais, tolo demais para perceber
Que eu deveria ter lhe comprado flores e segurado sua mão
Deveria ter te dado as minhas horas quando tive a chance
Ter levado você a todas as festas
Porque tudo o que queria era dançar
Agora minha garota está dançando, mas está dançando
Com outro homem

5° Stay With Me- Sam Smith


Acho que é verdade
Não sou bom em casos de uma noite só
Mas eu ainda preciso de amor
Pois sou apenas um homem
Parece que essas noites
Nunca vão de acordo com os planos
Eu não quero que você vá embora
Pode pegar a minha mão?





Parece que o Playletras ficou bem romântico e acústico! O canal do youtube do Boyce Avenue é repleto de cover das mais diversas músicas, tem para todos os gostos, desde as mais antigas até as que estão bombando nas rádios, nessa voz suave que ele tem e com convidados que deixa ainda mais bonito. Ah e ele tem suas próprias composições que também são ótimas, da uma olhadinha lá.
Então é isso, gosta de alguma dessas músicas? O que achou dela sendo cantada por ele? Me conte tudo aqui nos comentários.
Beijos e até a próxima Playletras.

16 agosto 2015

As Peças Infernais: Anjo Mecânico

O livro resenhado dessa semana é o primeiro livro da trilogia Peças Infernais: Anjo Mecânico da minha escritora de fantasia preferida do momento, Cassandra Clare, que é autora dos 6 livros da saga Os Instrumentos Mortais que eu amo muito.
Para quem não sabe, As Peças Infernais é um spin off de Os Instrumentos Mortais, ele traz o mesmo universo das Sombras mas é retratado em uma época anterior, uma Londres cinzenta de meados de 1980.



Resumindo: Tessa Gray perdeu os pais quando era criança e acabou de perder sua tia, ela teve que vender tudo o que tinha para se mudar para Londres onde pretende encontrar seu irmão Nathaniel, único parente vivo. Ao desembarcar ela é recebida pelas irmãs Sombrias que trazem um bilhete de seu irmão para acompanhá-las. Ingenuamente Tessa vai, mau sabendo que as duas senhoras bizarras à estão arrastando para um futuro incerto em que Tess descobre que não é quem ela pensou ser toda sua vida e tem uma habilidade muito incomum. Tessa então mergulha no mundo das sombras, cheio de mentiras, Cassadores de Sombras, integrantes do Submundo e ameaças, mas que agora se tornou o seu mundo.
Anjo Mecânico é mais um daqueles livros que você ouve quase todo mundo elogiando, e como eu estou fanática pelos Instrumentos Mortais eu não hesitei em abrir meu exemplar para devorá-lo. Mas confesso que estava me arrastando pelas páginas, ficando cansada e me perguntando onde estavam as altas doses de ação dos outros livros da Cassandra. Mas então cheguei no final, e é claro, não poderia ser melhor. Cheio de reviravoltas, drama, ação, angústia, surpresas e planos bem bolados. Sim, a titia Clare não me decepcionou e ainda não deixou faltar aquela pitadinha de "preciso desesperadamente do próximo" que o epílogo carrega.





Os personagens são apenas um dos muitos pontos fortes dessa autora. Tessa é uma garota que perdeu muito, que teve seu mundo revirado, que sofre bastante nesse livro mas ao mesmo tempo é a  típica romântica, que deseja viver um dos muitos romances que já leu. Will é um Cassador de Sombras extremamente grosseiro e rude, que carrega um fardo sombrio e misterioso, que parece não se importar com as consequências de suas palavras e de sua postura e se empenha ao máximo para afastar as pessoas de si, não conseguimos imaginar esses dois juntos. É como ver uma flor delicada cercada por espinhos venenosos. Mas ao longo da história a autora abre pequenas brechas, expondo de relance o verdadeiro eu desses dois personagens.
Claro que os outros ganham um enorme espaço em nossos corações, pois são fascinantes e são os temperos de que a trilogia precisa para se sustentar.
Confesso que eu já senti cheiro de triângulo amoroso no próximo livro e detesto essa parte, espero que a Cassandra Clare lide com isso como ela lidou em suas outras histórias.
Finalizando, o primeiro livro dessa trilogia, acredito eu, está servindo mais para abrir passagem e preparar o terreno para os próximos, pois ele careceu de emoção e ação e profundidade, mas tem um excelente final e personagens tão bons quanto. Nem preciso dizer que minhas expectativas estão lá em cima né.




Espero que tenham gostado da resenha, me contem nos comentários se já leram algum livro da Cassandra Clare, me digam o que estão lendo agora, me contem tudo!
Beijos e até o nosso próximo papo literário.

09 agosto 2015

A Desconstrução de Mara Dyer

Se você acompanha os booktubers como eu você com certeza já ouviu falar da trilogia Mara Dyer, que está dominando e fazendo a cabeça de vários leitores. Ao ouvir as críticas e resenhas não exitei em acrescentá-lo a minha lista, até que ganhei de aniversário o primeiro livro, A Desconstrução de Mara Dyer da autora Michelle Hodkin, publicado pela editora Galera.



Mara Dyer para agradar sua melhor amiga Rachel, que tem um gosto peculiar pelo sobrenatural decide participar do jogo de tabuleiro Ouija. Depois daquela noite, Mara sofre um acidente após um sanatório abandonado desabar, matando seu namorado, a irmã do rapaz e sua melhor amiga. Ela e sua família mudam de cidade para recomeçarem, e isso parece ser mais difícil do que parece, já que ela está tendo alucinações ou será que está sendo assombrada? O que Mara e os outros jovens faziam naquele sanatório?
Eu não diria que eu adorei o primeiro livro dessa trilogia mas com certeza estou ansiosa pela sequência, ainda há muito o que descobrir, várias perguntas surgiram na minha cabeça.
Apesar da proposta da história com essa pitada de terror, eu que sou extremamente medrosa, não senti medo enquanto a personagem via seus fantasmas. A premissa é muito nova para mim e muito interessante também e isso pode render à continuação o título de melhor livro do ano.

No entanto os personagens principais deixaram muito a desejar, Mara Dyer é instável, o que se espera de alguém que passou por um trauma, mas eu simplesmente não entendia certas escolhas/atitudes burras que ela tinha, estava de saco cheio do ceticismo dela, e ai vem a parte que deixava mais confusa, as vezes ela agia de forma imatura e as vezes, em algumas situações tinha uma epifania de coragem e determinação que beirava muito a teimosia.
Noah o suposto par romântico de Mara é um garoto inteligente, sarcástico, provocante e misterioso. Já não vimos isso antes? Tipo em quase todos os livros? Ele é o tipo de bad boy que atrai todas as garotas. No finalzinho do meio ele se torna intrigante.
Esses dois personagens renderam um romance morno e clichê, e olha que eu adoro os romances, mesmo os água com açúcar. Era do tipo que quando rolava a química entre eles você não sentia isso.
Algumas coisas são até previsíveis mas o final eu não esperava de jeito nenhum, estava até achando que mais nada iria acontecer, faltavam mais ou menos umas vinte páginas para acabar e ai começam a acontecer coisas e...BAM. Acontecem coisas, aparecem pessoas e você fica se descabelando porque não tem a sequência ainda e não sabe o que diabos a autora fez.
Para mim A Desconstrução de Mara Dyer formula mais perguntas do que respostas e talvez isso tenha sido uma estratégia e deu certo comigo. Aguardo a continuação, com expectativas para uma melhora nos personagens, para esclarecer as milhares de dúvidas, para um romance mais envolvente e para o desenrolar de um grandioso mistério.



É isso, se você já leu algum livro da trilogia Mara me conta nos comentários o que você achou, vou adorar saber, e se você ainda quer ler me conta o que achou da resenha, se eu te desmotivei ou não hehe. Um abraço e até o nosso próximo papo literário.

02 agosto 2015

Nessas Férias...

O blog ficou bem umas duas semanas sem post, e sim eu tenho motivos para isso; 1° eu fiquei sem inspiração e sem conteúdo, 2° eu fiquei beeem gripada, do tipo em que você fica de cama e 3° fiquei sem tempo.
Eu procuro ao máximo não deixar o blog sem conteúdo,busco sempre coisas para me inspirar, mas o bloqueio acontece gente, pelo menos comigo é inevitável. Mas é mês de férias da faculdade e eu trago para vocês os filme e livros que me deixaram entretida, só para esclarecer eu não faço resenha de todos aqui no blog, as vezes eu simplesmente não consigo transmitir minha opinião, me faltam palavras para contar à vocês o que eu achei.
Acredito que assim vocês ficam por dentro do que anda acontecendo nas minhas férias, se estiverem no tédio sem nada para fazer considere esses itens recomendados.

Filmes
1° Cidades de Papel


2° Pixels


3° Divertidamente





Livros
1° Os Instrumentos Mortais: A Cidade das Almas Perdidas



2° Sal



3° Os Instrumentos Mortais: A Cidade do Fogo Celestial



4° A Desconstrução de Mara Dyer


É isso o que tenho assistido no cinema e lido, ah continuem acompanhando o Let's talk que logo irem fazer a resenha crítica de A Desconstrução de Mara Dyer ;)