slide

18 agosto 2014

Playlist de Letras: músicas para te motivar

Eu compartilho com milhares de pessoas uma paixão muito grande pela música, nós, amantes das melodias ouvimos em quase todos os momentos do nosso dia-a-dia, fica até difícil se conter quando você está dentro do ônibus, por exemplo, e começa aquela batida que você ama e sabe a letra de cór, você olha para o lados e apesar de o local estar lotado, é impossível não se mexer um pouquinho e cantar bem baixinho.
Minhas músicas do celular são bem diversificada, eu saí daquela fase em que só ouvia rock pesado e passei a ouvir pop e um rock mais romântico além das trilhas sonora que são uma certa obsessão. Esses estilos mais lentos me levaram a admirar e me interessar muito mais pela letra da música do que pelos outros elementos. Isso virou um hobby, eu adoro colecionar traduções de músicas.
Antigamente eu tinha um caderno em que registrava as minhas favoritas, eu o chamava de caderninho azul. Eu não o tenho mais, pois decidi passá-lo a diante, não fazia sentido guardar páginas e páginas lotadas de sentimentos só para mim. Então confiei meu caderninho azul a uma pessoa muito especial. Minha coleção se limita ao meu coração e minha time line do face.
A questão é que algumas letras realmente são poderosas, e assim como servem de motivação para mim pode servir de motivação para as outras pessoas. Então selecionei 5 músicas, e os melhores trechos delas para que vocês possam sentir em seu coração a força que elas possuem.


1-ONE STEP AT A TIME (Jordin Sparks)
Nós vivemos e aprendemos a dar um passo de cada vez
Não precisa se apressar
É como aprender a voar, ou se apaixonar
Vai acontecer quando tiver que acontecer
Aí nós descobrimos por que
Um passo de cada vez 

2-TRY (Pink)
Onde há desejo, haverá uma chama
Onde há uma chama alguém está sujeito a se queimar
Mas só porque queima não significa que você vai morrer
Você tem que se levantar e tentar, e tentar, e tentar

3-PUT YOUR RECORDS ON (Corinne Bailey Rae)
 Talvez algumas vezes cometemos erros, mas tudo bem
Quanto mais você continua a mesma
mais eles parecem mudar
Você não acha isso estranho?
Garota, coloque seu som para tocar
me diga sua canção preferida
Vá em frente, relaxe
Safira e jeans desbotado
espero que consiga realizar seus sonhos
Apenas siga em frente, relaxe
Você se encontrará em algum lugar, de alguma maneira

4-SEMANA QUE VEM (Pitty)
Não deixe nada pra depois, não deixe o tempo passar
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar


5- SKYSCRAEPER (Demi Lovato)
Você pode pegar tudo o que tenho
Você pode quebrar tudo o que sou
Como se eu fosse feita de vidro
Como se eu fosse feita de papel
Vá em frente e tente me derrubar
Eu vou me levantar do chão
Como um arranha-céu!
Como um arranha-céu!


E você, qual música te motiva?

07 agosto 2014

A Espera

Os Mercenários 3.
Bom dia queridos leitores, vamos falar de filme!!!!
Este ano tive 3 grande expectativas cinematográficas: A Culpa é das estrelas ( que não me decepcionou e acabou se tornando para mim, uma das adaptações de livro para cinema mais fiel, dentre os que eu já assisti), Os Guardiões da Galáxia ( que vocês já sabem minha opinião) e finalmente....Os Mercenários 3!
Sim, eu adoro ação, luta, tiro e acrobacias difíceis de se imaginar fazendo, ultimamente tenho optado mais por comédias românticas, e se você quer minha recomendação eu sugiro Juntos e Misturados, já deve ter saído de cartaz, mas eu me diverti muito assistindo, apesar de ter algumas/muitas críticas.
Mercenários 1 e 2 foi uma grande surpresa por dois motivos. Primeiro nunca fui fã de Sylvester Stallone, sério, não me interessava pelos filmes dele, eu diria que até subestimei os talentos dele. O segundo motivo é que eu aprendi a não esperar muito de uma sequência, e gostei bastante de Mercenários 2.
Mercenários 3 ou The Expendables 3 conta com um FABULOSO elenco, o que mais me motiva a assistir esse filme são os incríveis atores, tem mais mestres da ação nesse filme do que....sei la, qualquer outro filme. Jason Statham (o careca sexy de Carga explosiva), Antonio Banderas (nosso querido Zorro), Jet Li (o carinha, baixinho, das artes marciais), Wesley Snipes (o foda do Blade), Mel Gibson ( dono de um sorriso sedutor, atuou naquele filme do cara que ouvia o pensamento das mulheres), Arnold Schwarzenegger ( O exterminador do futuro), Terry Crews ( o pai do Chris), Kellan Lutz ( o fortão Emmet da saga Crepúsculo), Sylvester Stallone (ator, produtor, diretor e roterista...ou o Rambo se preferirem), são alguns dos nomes que vão estrelar na terceira sequência e tornar tudo muito mais emocionante.
Neste filme Conrad Stonebanks (Mel Gibson),um traficante de armas quer acabar com Os Mercenários, apesar te ter fundado o grupo junto com Barney(Stallone)que teve que matá-lo em razão de suas atividade ilegais, mas como você já percebeu, é obvio que Conrad não está morto e Barney terá que recrutar novos membros para parar Conrad, que volta com sede de vingança.
Já deu pra perceber que minhas expectativas estão lá em cima né? Espero não sair do cinema bufando de raiva como em Transformers 4: A era da extinção.
Enquanto o filme não chega confere ai uma fotinha que eu tirei do poster no cinema, quando fui assistir GG e um trailer pra dar água na boca.


(Foto tirada por Bárbara Oliveira)



https://www.youtube.com/watch?v=2zu4AaVTyL8

Vejo vocês na estréia, 21 de agosto.

05 agosto 2014

Mundo da fotografia

Recentemente ganhei minha primeira semi profissional, e eu não imaginava o quanto eu queria uma até ganhar a primeira câmera fotográfica no meu aniversário de 18 anos. Fotografar é algo realmente mágico, é indescritível e tudo que eu vejo na minha frente eu quero registrar.
O mais legal é que o blog vai ficar muito mais bonito, mais vivo e interessante. Vou poder compartilhar minhas experiências com vocês não só com palavras, agora também temos as imagens (eeee).

(Fotos tiradas por Bárbara Oliveira)

Queridas escritoras

Bom dia queridos leitores, e queridos escritores.
Inesperadamente, depois de ouvir uma música, me veio essa vontade de homenagear e admirar um público específico em que eu tanto me espelho.
Quando leio os perfis dos blogs, principalmente os adolescentes, me deparo com uma história que muitas blogueiras compartilham. Elas escrevem como começaram o blog por alguma razão que me ocorreu hoje, muitas adolescente podem estar passando pelo mesmo.
As histórias em comum são geralmente: Eu criei este blog porque me sentia sozinha, tímida, precisava conversar com alguém, queria poder ter algo especial, etc. Os blogs começam como uma espécie de diário ou uma espécie de melhor amiga. Nós queremos conversar, compartilhar aquilo que mais gostamos. As vezes temos tantos amigos a nossa volta, mas nenhum deles compartilham de determinados interesses ou mesmo não podem compreender como nos sentimos. As vezes realmente somos tímidos e introspectivos, e essa é a nossa forma de sair do nosso mundo que se torna abafado e apertado.
Hoje acompanho essas meninas e vejo o quanto elas são incríveis, especiais, poderosas e o quanto essa experiência de escrever as transformou, as fez crescer e realizar seus sonhos. Hoje vejo que não existem limites para essas meninas/mulheres, e vejo como elas são inspiração, como elas são modelos para milhares de garotas.
Para mim elas são a personificação de um grito potente em meio a uma multidão que até então não quer te ouvir. E quer saber? Hoje essa multidão sente prazer em ouvi-las.
Lembra da música que desencadeou esse poste? Ponho a tradução dela, para que as meninas que hoje se sentem inseguras, pequenas e invisíveis. Para as meninas que precisam de um bom ouvinte pra desabafar e pra te compreender. Essas meninas que um dia saberão o quanto são poderosas.

http://www.vagalume.com.br/little-mix/little-me-traducao.html

Dedico este post as minhas inspirações: Bruna Vieira (Depois dos quinze), Ana Paula Buzzo (Não Provoque) e Camila Mabeloop (Desejo adolescente) e é claro a todas as blogueiras.

01 agosto 2014

Guardiões da Galáxia

Bom dia queridos leitores.
Hoje temos assunto diferente! Vamos falar um pouco sobre a nova estréia cinematográfica, mas nada de sinopse, pois isso você consegue achar em todo lugar.
Ontem fui matar uma curiosidade que trago comigo a meses, ver Guardiões da Galáxia. Ficava alimentando essa curiosidade com o trailer oficial e posts em blogs que falavam um pouco sobre a história em quadrinhos que eu ainda não li, mas assim que tiver a oportunidade irei ler.
Minha opinião? Eu adorei! Sim, achei engraçado, divertido, bem feito e mais alguns elogios que irei atribuir mais a frente deste post.
Na minha opinião a razão de a Marvel Estúdios fazer o sucesso que faz ficou evidente em GG, a combinação perfeita de ação e humor atraí um público de diversas idades, levando sucesso para filmes como Homem de Ferro e é claro GG.
A trama se desenrola sem dar aquelas voltas cansativa, os efeitos especiais são muito bons e os "figurinos" dos personagens encantam. A escolha dos atores não me trazia muita expectativa, mas devo dizer que a equipe ou foi muito bem escolhida ou os atores evoluíram muito nesse filme, fizeram um ótimo trabalho. Confesso que não consegui identificar o Vin Diesel por trás do Groot, mas foi um personagem que me cativou muito
Não vi uma grande platéia para a estréia e acho que isso se deve a um certo tipo de preconceito por filmes do gênero, você olha o vídeo e vê uma mulher verde, um "homem árvore" e um guaxinim e já pensa que vai ser uma besteira completa cheio de ficção científica. Mas recomendo que você vá assistir, relaxe, aproveite e depois me conte o que achou.
Guardiões da Galáxia é a minha recomendação para esse fim de semana.
Vou coloca aqui no post duas referências para você conhecer mais sobre GG e decidir se quer ou não entrar nesse mundo fabuloso.

https://www.youtube.com/watch?v=s_SBtVK7kAs

http://proibidoler.com/textos/guardioes-da-galaxia/

Percepção do que acontece

Saudade é um dos males sofrido por todos. Não escolhe idade, sexo, cor, posição social nem momento para aparecer e fazer você viver momentos que vão desde melancolia á um caos total na sua vida. Acho que o estágio mais avançado é aquele em que você sempre poe uma música triste pra ficar se torturando e revivendo momentos que só te trazem lágrimas atrás de lágrimas, rever fotos e lembrancinhas que caracterizam aquela pessoa ou aquele momento. E do que sentir mais falta? Do sorriso meigo que hipnotiza? Dos olhos que são impressionantes somente a você? Das brincadeiras bobas? Das conversas? Ou da infância onde tudo era mais fácil e simples?
Sentimos diversos tipos de saudades. Aquela por pessoas que passaram pela sua vida e se foram, aquela por momentos e fases da sua vida que não irão se repetir e até mesmo aquela saudade de algo que ainda nem aconteceu. Seja qual for o tipo, a espécime e o grau esse sentimento é natural e de certa forma saudável.
As pessoa se machucam tanto nessa vida, por relacionamentos mau sucedidos, amizades falsas e decepções. É algo quase que universal, vemos o sofrimento dos nossos amigos e familiares e nunca desejamos aquilo para nós, ou as vezes passamos por algo tão doloroso que nos retemos, nos escondemos em casulos de frieza e falta de vontade de nos relacionarmos novamente. É normal, é instinto de sobrevivência é autopreservação.
Mas o que muitos não param para reparar em meio a essa correria que se aplaca quando tudo volta pelo menos perto do normal é que essa saudade e essa dor é sinônimo de vida. Significa que você está vivendo e descobrindo o mundo em sua forma primitiva, além de descobrir a si mesmo.
O que eu quero dizer é que devemos temer menos a dor, a decepção e a saudade pois isso faz parte de um processo de aprendizagem, crescimento e descobertas. É o caminho inevitável para chegar aos nossos sonhos e objetivos, e me arrisco a dizer que é também o caminho para a felicidade.
O que devemos temer e evitar é a inércia e esse casulo que nos afasta de tudo e de todos. Não tem graça, não tem tempero, não tem paixão, não tem cor, não tem vida!
Tenho uma interpretação do livro A Culpa é das estrelas que julgo ser pessoal e tem um pouco a ver com isso tudo, que eu adoro e passei a adotar como filosofia. Apesar do sofrimento proporcionado pela doença, Hazel aprendeu com Gus que independente de as coisas terem terminado da forma como terminaram e de proporcionar uma dor emocional a ela nenhum dos dois mudariam o fato de terem se conhecido e se apaixonarem só pra evitar a dor, porque o trajeto percorrido foi a coisa mais significante e maravilhosa que eles poderiam viver. "Eu não me arrependo das minhas escolhas, espero que Hazel não se arrependa das dela" (foi algo assim neh? já faz um tempinho que li o livro).
Enfim, não se arrependam de terem se apaixonado por aquele carinha que foi pra fora do Brasil, de terem amado aquela menina que terminou o relacionamento porque achava que vocês queriam coisas diferentes, de ter vivido loucuras com aquele grupo de amigos que foram para uma faculdade diferente, todas essas experiência valeram a pena, acredite, elas de alguma forma construíram a força, a sabedoria e a felicidade que você tem ou que irá adquirir.
(Foto tirada por Bárbara Oliveira)

Você ama o que faz?

Como eu havia comentado em um post anterior, jornalismo não foi a escolha inicial para minha carreira, mas quando comecei meu curso estava gostando das matérias. Estética e história da arte foi minha primeira alegria na faculdade. Sempre adorei história, geografia e literatura. Além do fato de que sempre digo para mim mesma que eu não posso desistir, quando começo uma coisa eu vou até o fim.
Segundo semestre está ai e o tão esperado estágio também e como todos esperam estágio é para ganhar experiência e aprender. Não está sendo muito diferente, estou aprendendo algumas coisas e acredito que ler e escrever seja a melhor maneira de um jornalista se exercitar, é o que tenho feito!
Mas o que eu quero dividir com vocês é a experiência que eu tive essa semana. Eu não fazia ideia de que era apaixonada por essa profissão até perceber como as coisas que eu faço, que contribuem para a comunicação social, me afetam de uma forma intima, profunda, lá nas emoções até então não descobertas.
Eu escrevi uma matéria com promessa de publicação, pesquisei bastante e me empenhei para que fosse pelo menos aceitável, já esperava críticas, mas o que eu não esperava é que minha matéria se tornasse na síndrome do Ctrl C Ctrl V, foram copiados trechos de outros lugares da internet e jogados na minha matéria com algumas mudanças.
Isso causou um efeito que eu não esperava, me senti triste, decepcionada e com vontade de chorar, não chorei porque não queria fazer papel de ridícula. Mas ali eu descobri que cada texto que eu escrevo é uma parte de mim que estou cedendo, e vê-la se transformar em algo que eu considero uma falta de ética e profissionalismo me causou uma dor interior, um desconforto no espírito. Sei que esse sentimento pode parecer exagero,eu também acho, mas não posso ignorar que ele passou por aqui.
Hoje estou bem, mas não me esqueço, e quer saber? Tomo isso tudo como lição. A lição é que agora eu sei o tipo de profissional que eu quero ser e o que eu não quero ser. Percebi que estou mais conectada com minha futura carreira e que um dia amarei minha profissão. Mas além de tudo, isso só me mostrou o quanto as pessoas estão acomodadas, o quanto estão deixando de exercer a criatividade e a originalidade, você pode estar cercado de pessoas como esta neste exato momento.
(Foto tirada por Bárbara Oliveira)