slide

27 abril 2014

Minha Primeira Reportagem Local

Por não aguentar mais, população denuncia lixão a céu aberto em Ceilândia.

 O desconforto e o mau cheiro fizeram com que os moradores da Nova QNL denunciassem um lixão que se formou em uma área verde que ligava a Nova QNL a Ceilândia Sul. Segundo pessoas que moram na região em média de 25 anos, grande parte desse período a situação é a mesma. A grande quantidade de lixo doméstico, lixo hospitalar, entulhos, garrafas de cerveja, refrigerante, recipientes de doces e fraldas descartáveis, o insuportável mau cheiro, sem contar com a época de chuva, a água escorre para as casa levando consigo toda a sujeira. E tudo isso contribui para o aparecimento de ratos e mosquitos que invade as casas ao anoitecer. Além de todo o incomodo físico, a população tem de conviver com o medo e o desconforto causado pelos moradores do lixão.
As fontes afirmam que certas providências já foram tomadas, o entulho já foi recolhido, mas sempre volta. Pois segundo transeuntes. É nada mais que culpa da própria população. Existem divergências, vizinho brigando com vizinho, um repreende o outro que contribui para o acumulo de lixo no local. “Já está sujo, mais lixo não faz diferença” diz uma moradora, “cada um precisa fazer sua parte” diz outro morador. Para alguns a solução seria colocar placas e cobrar multas, e aumentar a fiscalização, mas parece que a única saída seria se construíssem uma área de lazer, ou uma academia popular.
Nossa equipe entrou em contato com a administração de Ceilândia e o SLU, que informou que iria mandar uma equipe de limpeza para o local. Não informaram a data em que essa equipe ira para fazer a retirada do lixo.
Fontes que quiseram se identificar: Marli Alves e Elena Xavier
Local: Ceilândia Sul, ao lado da Igreja Cristã Presbiteriana, QNL 31 módulo A

(Fotos tiradas por Bárbara Oliveira)

Reportagem de Bárbara Aparecida Soares de Oliveira
Edição de Cleiton Barboza

Nenhum comentário:

Postar um comentário